domingo, 4 de junho de 2006

Falando sobre Condução - Parte I

Condução em Portugal, ou melhor, má condução em Portugal!
Infelizmente observamos um quadro negro quando falamos de Acidentes Rodoviários. De quem é a culpa?
Hoje em dia só se houve falar em excesso de álcool e em excesso de velocidade. OK! O excesso de álcool é um factor enorme de risco, o qual representa uma enorme fatia nos acidentes….mas excesso de velocidade??!!!?!?!!
Desde quando é que o facto de ir numa auto-estrada a 100 km/h ou a 210 km/h ( desde que eu não efectue uma manobra mal calculada ) faz com que haja um acidente???
Só haverá um acidente se eu for na faixa da esquerda a 210 km/h e uma “ Amélia “ qualquer a 100 km/h mudar para a minha faixa sem verificar que o pode efectuar e sem colocar em risco os outros condutores.
O Código da Estrada diz qualquer coisa como: verifique se pode tomar a outra faixa, assinale a sua intenção de mudar de faixa através do pisca e tome a faixa em segurança.
No entanto a “ Amélia “ muda de faixa baldando-se no código e nos outros condutores, provoca o acidente e a culpa ainda é do gajo que vinha “ quietinho “ a 210 km/h na faixa da esquerda sem efectuar qualquer manobra de risco.
Voltando ao inicio, de quem é a culpa?
Em parte das autoridades deste país, isto porque hoje em dia assistimos a uma caça à multa por excesso de velocidade e não vemos autoridades a multarem condutores que mudam de faixa sem se preocupar com os outros, que pisam traços contínuos e zebras, que atiram os carros para cima dos outros para tomarem a faixa que pretendem, aqueles que simplesmente cortam as rotundas a direito ( estilo Formula1 ) obrigando todos os que circulam na mesma via a travar para evitar o acidente, etc…etc.
Digam-me então quais são os condutores que provocam os acidentes?
Ou então…..digam-me então de quem é a culpa? Das autoridades ou das “ Amélias “?

M

16 comentários:

Anónimo disse...

Bom dia,

o teu carro nem dá 210.

E escusavas de estar a falar do meu estilo de condução, passar traços continuos, raias, mudar de faixa sem me preocupar com os outros.

Entra o gato e sai o cão

Mixikó disse...

Olá, cá estou eu no teu blog.
Bela questão...dificil resposta.
beijos

S&M disse...

Obrigada por "apareceres" Mixikó!!!
Por ter gostado tanto do teu blog e da tua "escrita"....decidi fazer o mesmo e arrastei o meu marido :)
Foste tu!!! ;)
Beijocas

S&M disse...

Meu caro "anonymous", o meu actual carro não atinge os 210 km/h, mas como muito bem sabes, o meu anterior carro atingia essa marca e o carro que comprei (e que aguardo a sua importação) supera essa marca.

Porem e tendo em conta que:
- Existem muitas "amélias" a provocarem acidentes sem serem multadas pelas autoridades;
- Existem muitas autoridades a multarem por excesso de velocidade...

... estamos pois, a falar em termos teoricos e não em termos práticos.

Para poder usufruir do prazer da velocidade terei que o fazer em circuito fechado, porque das duas umas, ou levo com uma "amélia" ou levo com uma multa enorme.

Quanto à tua condução... não vale a pena tecer comentários... "amélia"...

Coitado do cão, já está a ver a vida dele a andar para trás.

M

cloinca disse...

Olá!
Vim aqui parar através do blog da Mixikó.... e vi que têm aqui um blog muito bebé, mas com pernas para andar! Sim senhor!... É continuar!... Eu vou aparecer sempre que puder, para deixar os meus comentários... pode ser?
Beijokas,
cláudia

Mixikó disse...

Oi S&M, vou aparecer sempre que puder, está prometido...
Fizeste muito bem...e assim nasceu mais um blog interessante...beijos.Continuem

S&M disse...

Olá Cloinca
Serás muito bem vinda!!! E obrigada pelo carinho já demonstrado!! Eu já tinha espreitado o teu Blog através do da Mixikó, mas ainda não tive oportunidade para lá deixar qualquer comentario, mas farei assim que puder.
Agradecemos sempre as vossas visitas e responderemos sempre com muito agrado, embora eu ( S )vá ser mais assidua do que o meu marido ( M ) :)

Mixikó
Espero que não te importes que os teus amigo/as virtuais sejam tambem os nossos!!! ;)

Beijocas
S

Mixikó disse...

Claro que não me importo S.
beijos

cloinca disse...

Olá!
Obrigada pela visita!
O segredo para um blog ter pernas para andar... é escrever, nem que seja só uma frase, todos os dias...
Foi o que me disse a Grilinha (link no meu Blog: "Grilices")quando criei o meu blog, e é bem verdade!
Não te digo para escreveres tanto como eu... ih, ih... às vezes é cada testamento!...
Mas uma frase num blog por dia, dá saúde e alegria!
;)
Beijinhos, fica bem!
Claudia

S&M disse...

Olá Cloinca
Vou seguir o teu conselho, tentar deixar uma frase que seja todos os dias, mas como podes ver pelo meu post de hoje....tambem adoro testamentos! :)
Já fui ao Blog da Grilinha, mas ainda não deixei lá qq comentario. Tenho que lá voltar.

Beijocas
S

Anónimo disse...

Concordo, mas tb deves incluir as Amélias que andam a 210klm e julgam que os outros é que são todos Amélias.
Coitado daquele (provavelmente bom condutor) que avançou no stop porque não vinha ninguém (tal como mandam as regras) e depois leva com uma Amélia (de carro ou mota)que vinha a abrir em sítios sem visibilidade para tais velocidades.
Tb nas nossas AE existem muitas zonas que não permitem esses andamentos. Nem na Alemanha tal é permitido em todas as zonas das AE.
Uma boa máxima será: Respeitar os outros como queremos que nos respeitem.
NF

Carla & Repolha disse...

A questão é: andar a 210 é ilegal! Não existem condições viárias para que se conduza em segurança a 210 - as estradas não estão vedadas no meio envolvente e apanhar com um cão pela frente é mais comum do que se possa imaginar. Pior é se alguém que segue na boa a 100 apanha com o gajo dos 210 à conta do cão... Pior ainda quando se morre por tão pouco.
Além disso, andar a 210 é criminoso - porque um embate a 210 não tem nada a ver com um a 120 (é uma questão de se fazer contas para as quais não tenho pachorra a esta hora). Além de que o poder de controlo de um carro a 120 é muito diferente.
Mas uma grande falta de civismo é apanhar "amélias" a 210 a mandarem com máximos a quem está a efectuar uma ultrapassagem legítima a 120...
É tudo uma questão de perspectiva: há "amélias" para todos os gostos (além de Amélia ser um nome demasiado bonito para ser usado com tom tão prejorativo).

PS: Sabes que andar depressa toda a gente sabe; andar depressa sabendo respeitar quem não o faz há menos gente a saber - e um bom condutor não se vê pela velocidade que atinge.

Beijos

S&M disse...

Minha cara Carla & Repolha (bem como NF):

Talvez não tenham percebido bem o que disse, provavelmente por culpa minha que não me expliquei bem…

Eu disse:
“Desde quando é que o facto de ir numa auto-estrada a 100 km/h ou a 210 km/h ( desde que eu não efectue uma manobra mal calculada ) faz com que haja um acidente???”

Ou seja, eu defendo que os condutores não devem de ser penalizados pela velocidade, mas sim pelas manobras perigosas (causadoras dos acidentes).

O facto de eu ir a 210 ou a 90 não faz com que eu tenha um acidente, desde que eu tenha consciência do que estou a fazer, mas se aparecer uma “Amélia” que faz uma manobra disparatada, como por exemplo passar para a faixa esquerda para ultrapassar sem verificar pelo retrovisor que se aproxima um carro em velocidade superior (ISTO É ILEGAL)… aí sim temos um acidente.

É disto que eu estou a falar.

É lógico que se um gajo seguir na boa a 100 e não fizer asneira, não lhe acontece nada.

Em relação ao perder o controlo de um carro a 120 ou a 210, ou até a 70… o resultado imediato é o mesmo… perde-se o controlo e não há nada a fazer. As consequências é que são diferentes. Mas quando se perde o controlo, não há nada a fazer.

Sem me querer alongar, penso que a frase:
“Sabes que andar depressa toda a gente sabe; andar depressa sabendo respeitar quem não o faz há menos gente a saber - e um bom condutor não se vê pela velocidade que atinge”

Também se pode escrever da seguinte forma:
“Sabes que andar devagar toda a gente sabe; andar devagar sabendo respeitar quem não o faz há menos gente a saber - e um bom condutor não se vê pela velocidade que atinge”

Espero que não levem a mal este meu comentário, mas como sempre, acho que há espaço para tudo e neste caso acho que podem existir condutores aceleras desde que não efectuem manobras perigosas, assim como podem existir condutores lentos desde que não efectuem manobras perigosas.

Para mim uma “Amélia” não é quem conduz devagar, mas sim quem causa acidentes porque ignora os outros…

M

S&M disse...

... e mais Carla & Repolha.

Quando fores numa AE na faixa da esquerda a ultrapassar nos teu belos 120 e um carro se atravessar à tua frente a 85 para ultrapassar outro que vai a 83...

Estou certo que irás gritar em plenos pulmões... "AMÉLIA DO CARAÇAS....."

M

Carla & Repolha disse...

Só há aqui três pequenos detalhes que gostava de corrigir: é falso que toda a gente saiba andar devagar (aliás é mais difícil andar devagar do que depressa...) - com a cartinha como nova põe lá o dito condutor a fazer as ruelas do bairro alto, por exemplo, e vais ver quantas vezes terá de fazer marchas-atrás e quantas deixará o carro ir a baixo... (andar numa AE é meter a 5ª e acelerar - não há grandes truques).

Sabes que o que mais me acontece ao fazer uma ultrapassagem (que normalmente efectuo de forma rápida, ou seja - se eu estiver a circular a 120/130 faço a ultrapassagem a 150/160) é apanhar com um tipo a enfiar-se no "buraco da agulha" porque vem a 210 e deve estar a cumprir algum record... Apanho muitos mais destes do que dos outros (não que lhes ache graça...).

O segundo detalhe a corrigir é que eu o/a chamaria de tudo - amélia não certamente LOL além de que circular na faixa da esquerda a menos de 90 também não é permitido ;)

O terceiro - tenta lá fazer experiências de domínio num carro a 70 e noutro a 210... perceberás a diferença ;)

Sobre manobras perigosas - devagar ou depressa: não poderia estar mais de acordo contigo.

Para finalizar, só tenho uma coisa contra quem anda depressa - achar que a estrada foi feita só para ele/a. E aí reside um grande perigo.

Beijos

S&M disse...

Acho que não vale a pena estar a criar "conflitos", porque cada um tem a sua forma de pensar.

O que eu defendo é a condução conscienciosa independentemente da velocidade.

O código da estrada diz qualquer coisa do género:
"Antes de tomar a faixa à sua esquerda, verifique que o pode fazer em segurança, se assim for, assinale a sua intenção através do pisca e tome-a em segurança"


O código da estrada não diz:
"Verifique se o condutor que se aproxima circula em excesso de velocidade, se sim, atire o carro para cima dele e provoque o acidente, pois ele vem em excesso de velocidade".

Beijos
M